28.10.11

QUASE NADA na imprensa



Notícias na imprensa. De cima para baixo:
Público - 28 de Outubro de 2011
As Artes entre as Letras - 26 de Outubro de 2011
Grande Porto - 28 de Outubro de 2011.

Para ler por favor clicar sorbe as imagens, obrigada. 

27.10.11

Imprensa de hoje



Notícias publicadas hoje. 
De cima para baixo:
Revista Visão
Jornal DESTAK


Para ler por favor clicar nas imagens. Obrigada.

25.10.11


Revista Pais & Filhos - 1 de Novembro de 2011

QUASE NADA




As palavras de Eugénio de Andrade interpretadas por corpos surdos mas vibrantes e cheios de som, que enchem o espaço com o movimento, explorando o corpo das palavras, criando coreografias do gesto. QUASE NADA promove uma intensa troca corporal, onde as vírgulas, os tempos verbais, os sentimentos e as intenções serão tocados num orgânico teclado de notas que vibram para além do som e que se estendem por todo o espaço. 

QUASE NADA é um ciclo de vida íntima e emocional daqueles que vivem o ritmo do tempo, sem medo das curvas. E atravessam o calor do verão e o frio do inverno com a mesma paixão.  QUASE NADA é um lugar pequenino e nada pretensioso onde os desejos e as frustrações, os encontros e os desencontros acontecem sempre com o sabor da fruta da época como forma de suportar as palavras. Nas cores das estações transformam-se os ritmos dos dias e tudo muda, até porque lá fora as árvores também se despem. 

Com QUASE NADA rasgam-se paredes e rompem-se os dias, abrindo espaço à brisa de novos lugares. 


Criação: Coletiva
Direção Artística: João Pedro Correia 
Assistência Direção: Rosário Costa
Apoio de Português em Língua Gestual Portuguesa: Isabel Amaral
Direção Musical: António Sérginho  
Interpretação: Diana Silva, Eva Fernandes, Hugo Freitas, Joana Silveira, Mélissa Silva, Pedro Frias, Ricardo Cottin, Sofia Gomes, Sofia Quintas, Tatiana Viana 
Cenografia: Ana Gormicho e Daniel Teixeira
Figurinos: PELE 
Desenho e Operação Luz: Pedro Cabral 
Registo Imagem: César Pedro 
Imagem Gráfica: Nuno Patrício  
Produção Executiva: Joana Ventura  
Produção: PELE
Coprodução: Associação de Surdos do Porto, Serviço Educativo da Casa da Música, Serviço Educativo da Fundação Ciência e Desenvolvimento da Câmara Municipal do Porto
Projeto financiado pela Secretaria de Estado da Cultura / DGArtes (Direção-Geral das Artes). 


O livro “Eram umas quantas vezes – registo de um processo” tem um apoio à edição da Federação Portuguesa das Associações de Surdos. 
Entrada Livre, mediante levantamento de bilhete e até ao limite da lotação da sala.

Dança e Matemática - Making Of


Do videasta João Rei Lima, dois videos de making of dos filmes criados para os dois espetáculos de Dança e Matemática coproduzidos pela Serviço Educativo da FCD e pela Companhia Instável. 
Para ver por favor clicar nos links.
Making of "Imaginação"


Making of "Sequências"



14.10.11

Criação Teatral com Surdos baseada na poesia de Eugénio de Andrade estreia no TCA




CONVITE: Ensaio de Imprensa – 27 de Outubro às 18h00.


O Serviço Educativo da Fundação Ciência e Desenvolvimento/Câmara Municipal do Porto em coprodução com a (organização) PELE_Espaço de Contato Social e Cultural, a A.S.P. – Associação Surdos do Porto e o Serviço Educativo da Casa da Música apresenta, em estreia absoluta, o Projecto Teatral com surdos e ouvintes criado pela PELE a partir da obra poética de Eugénio de Andrade “Quase Nada”.

A estreia a está marcada para 28 de Outubro e do projecto faz ainda parte o lançamento do livro "Eram Umas Quantas Vezes - Registo de um Processo", referente ao anterior Projecto Teatral com Surdos levado a cabo por esta instituição.

Para a apresentação deste novo espetáculo será realizado um
Ensaio de Imprensa, a 27 de Outubro pelas 18h00, para o qual agradecemos a vossa confirmação. “ Quase Nada” apresentar-se-á nas seguintes sessões:

- 28 de Outubro, às 21h30 (estreia)
- 29 de Outubro às 16h00 e às 21h30 (espetáculos)
- 30 de Outubro às 16h00 (espetáculo)
- 29 de Outubro às 17h00 (lançamento do livro)

Sobre “Quase Nada”

Pretendeu promover a pesquisa da Língua Gestual Portuguesa e o seu potencial teatral/corporal, com base na obra poética de Eugénio de Andrade, tendo como objectivo o cruzamento de línguas e linguagens. As palavras de Eugénio são interpretadas por corpos surdos que enchem o espaço com movimento, explorando o corpo das palavras. Esta é uma coreografia do gesto, a fusão da Língua Portuguesa e Gestual Portuguesa, num processo de criação que privilegiou a experimentação e o cruzamento de linguagens do domínio da poesia, dança, da música e do teatro para a criação de novos discursos que aproximem as comunidades, promovendo a coesão social, através da criação artística.

Explorar as relações entre as pessoas que falam com a boca e as pessoas que falam com as mãos e com o corpo – e criar uma fala comum – o Teatro.

Numa intensa troca corporal, onde as vírgulas, os tempos verbais, os sentimentos e as intenções serão tocados num orgânico teclado de notas que vibram para além do rosto
e que se estende pelo corpo todo. As palavras de Eugénio de Andrade exploradas na precisão de um gesto de um surdo em uníssono, com a voz de um actor, promovendo a pesquisa e a inovação artísticas pelo cruzamento de línguas e linguagens. Criar novas paisagens corporais com o rasgar do espaço pelo gesto. A descoberta de personagens comuns dos dias, as suas histórias, intimidades e os lugares que as ligam em gestos largos pautados por vozes externas. Da exploração da vibração à música.

O projecto conta com um grupo de oito performers surdos e dois atores profissionais, bem como um músico/compositor que criou, com a equipa, a banda sonora do espectáculo, através da exploração das ressonâncias de instrumentos de percussão por parte do grupo de surdos.

Este projeto foi Financiado pela Secretaria de Estado da Cultura | Dgartes (Apoio Pontual 2011).

O Espectáculo voltará a ser apresentado no Espaço ANIMAR, no Bairro do Lagarteiro, inserido no MEXE _ Encontro de Arte Comunitária, organizado pela PELE e Iniciativa Bairros Críticos.
Entre Janeiro e Março de 2012, entrará em torne nacional com confirmação do TEMPO - Teatro Municipal de Portimão e do Centro Cultural do Cartaxo. (ambas as deslocações aguardam marcação de data).
. Fechará o ciclo de Apresentações na Casa da Música, Porto. Inserido no Festival “Ao Alcance de Todos” nos dias 3 e 4 de Abril de 2012.

Ficha Técnica e Artística
Criação: Coletiva
Direção Artística: João Pedro Correia
Assistência Direção: Rosário Costa
Apoio de Português em Língua Gestual Portuguesa: Isabel Amaral
Direção Musical: António Serginho
Interpretação: Diana Silva, Eva Fernandes, Hugo Freitas, Joana Silveira, Mélissa Silva, Pedro Frias, Ricardo Cottin, Sofia Gomes, Sofia Quintas, Tatiana Viana
Cenografia: Ana Gormicho e Daniel Teixeira
Figurinos: PELE
Desenho e Operação Luz: Pedro Cabral
Registo Imagem: César Pedro
Imagem Gráfica: Nuno Patrício
Produção Executiva: Joana Ventura
Produção: PELE
Coprodução: Associação de Surdos do Porto, Serviço Educativo da Casa da Música, Serviço Educativo da Fundação Ciência e Desenvolvimento da Câmara Municipal do Porto.

Projeto financiado pela Secretaria de Estado da Cultura / DGArtes (Direção-Geral das Artes).
As artes entre as Letras - publicada a 12 de Outubro de 2011
Para ler por favor clicar sobre a imagem. Obrigada.

11.10.11

DUAS ESTREIAS ABSOLUTAS AMANHÃ


"30por1linha" e "O homem que só pensava em números". 
Duas estreias amanhã com a Companhia Instável. 
Dança e Matemática para os vários ciclos de ensino. 

Fotografia: Sara Moutinho

10.10.11

Dança e Matemática

Semanário GRANDE PORTO - 7 de Outubro de 2011.
Para ler por favor clicar sobre a imagem. Obrigada.

6.10.11

Imprensa


Em cima: revista Sábado de 4 de Outubro de 2011. 
Em baixo: revista Visão de 6 de Outubro de 2011.
Para ler por favor clicar nas imagens. 

4.10.11

Dança e Matemática para escolas


 "30por1linha" - fotografia de Luís Tobias

 "O homem que só pensava em números" - fotografia de Luís Tobias

O Serviço Educativo da Fundação Ciência e Desenvolvimento/Câmara Municipal do Porto, em coprodução com a Companhia Instável, propõe, para o mês de Outubro, duas estreias absolutas, espetáculos de Dança cujo tema é a Matemática.


Criados por Pedro Carvalho para três intérpretes/bailarinos, “30por1linha” e “O homem que só pensava em números” são espetáculos sobre o movimento e sobre as suas interligações com a Matemática nas mais diversas formas. A criação teve em conta os parâmetros curriculares de cada grau de ensino para o qual se destina, num trabalho de experimentação, na construção de um objeto artistico-científico.

“30por1linha”, destinado a alunos do 1º e 2º ciclos de ensino, é um espetáculo sobre um estudo de movimento para seis dimensões matemáticas – o ponto, a reta, o plano, o espaço, o tempo e a imaginação. Partindo da realidade espaço-temporal, torna-se necessário introduzir uma nova coordenada que permita ao homem criar as suas próprias ideias livres – a imaginação.

“O Homem que só pensava em números”, destinado a alunos do 3º ciclo e do ensino secundário, é um espectáculo idealizado como um estudo filosofico-matemático. A história de um homem que dedica toda a sua existência aos números, encontrando razões e conexões que o ligam de volta ao mundo real. 


Dança/Matemática
“30por1linha” - 12, 13 e 14 de Outubro - 10h30
“O homem que só pensava em números” - 12, 13 e 14 de Outubro - 15h00
Criação: Pedro Carvalho/Companhia Instável 2011 
Música: Paulo Mesquita.
Vídeo: João Rei Lima.
Intérpretes/bailarinos: Bruno Rodrigues, Sérgio Matias e Teresa Santos.

Coprodução: Fundação Ciência e Desenvolvimento/Câmara Municipal do Porto e Companhia Instável.


Ensaio de Imprensa: 10 de Outubro às 15h00.
P. F. Confirmar presença.